Noturnas, isoladas e totalmente assinantrópicas, as lacraias ou popularmente conhecidas como centopéias, vivem em locais escuros e com alto teor de umidade. Apresentando tamanho que pode ultrapassar vinte centímetros de comprimento, invadem as edificações humanas, geralmente através dos ralos, principalmente àqueles localizados nos banheiros e em outras áreas frias.

Sua presença no ambiente quase sempre cria pânico aos moradores ou usuários, mas certamente elas também se assustam, buscando rapidamente um local para saída imediata.

Apesar de sintetizarem toxina e possuírem estrutura inoculadora, os acidentes causados pela picada das lacraias são considerados de baixa gravidade, embora nos últimos anos o número de registro de acidentes por estes organismos venha aumentando de modo considerável, deixando em alerta os profissionais de saúde. Possuem hábitos alimentares exclusivamente carnívoros, preferindo as baratas de esgoto, porque estes insetos compartilham o mesmo habitat.

A Scolopendra viridicornis, espécie mais comum nos ambientes urbanos, apresenta uma coloração esverdeada, com partes do corpo em tons de marrom. Seu corpo pode alcançar vinte e três centímetros de comprimento e a longevidade pode ser superior a dez anos.

Medidas corretivas ou preventivas

  • Vedar fendas, frestas ou buracos que possam servir de abrigos para as lacraias;
  • Não acumular material que sirva para alimentar ou abrigar insetos, principalmente baratas;
  • Cortar ou afastar plantas ornamentais próximas às janelas;
  • Empilhar caixas ou outros objetos sobre estrados, de forma a facilitar a limpeza;
  • Manter sempre limpos os ralos domésticos.