Institucional

14/03/2017

Palestras sobre a importância da preservação dos ecossistemas, plantio de mudas da Mata Atlântica, exibição de um documentário e apresentação de uma banda de forró marcaram as comemorações pelos 30 anos da Área de Proteção Ambiental (APA) Estadual de Mangaratiba. As atividades foram realizadas, neste domingo (12/3), no Parque Estadual Cunhambebe, situado no Sul Fluminense, e administrado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Cerca de 200 pessoas participaram do evento, entre elas, aproximadamente 80 alunos das Escolas Municipais Coronel Moreira da Silva e Vale Rio do Sahy e do Centro de Estudos Supletivos de Mangaratiba, além de representantes de Associações de Produtores Agroflorestais; de Quilombos; de Moradores da Gamboa; de Barqueiros da Gamboa, entre outros.

Uma palestra sobre a história da APA de Mangaratiba e sobre a importância da preservação de manguezais, proferida pelo gestor da APA, Juliano Gobbi, abriu as comemorações. Policiais da 4ª Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) também participaram com uma palestra sobre crimes ambientais e como preveni-los. Durante todo o dia, houve exposição de produtos orgânicos da região.

Em seguida, os alunos participaram de um plantio simbólico de mudas de Ipê, espécie nativa da Mata Atlântica, e assistiram ao filme “Os Sem Floresta”, longa metragem que busca sensibilizar as pessoas sobre a importância da preservação ambiental.

As comemorações foram encerradas com uma apresentação da banda de Forró Mangarapira, formada por moradores da região.

“Eventos desta natureza são importantes porque é uma forma de atrair a atenção da população para a importância da preservação. Só preservamos o que conhecemos”, destacou o gestor da APA de Mangaratiba, Juliano Gobbi.

 

Sobre a APA de Mangaratiba

Criada pelo Decreto Estadual nº 9.802, de 12 de março de 1987, com área de 25.239 mil hectares, abrange parte do município de Mangaratiba, composta por montanhas e ecossistemas associados ao bioma da Mata Atlântica, e tem o principal objetivo de assegurar a preservação da vegetação protetora dos mananciais, manguezais e costões rochosos.

 

Sobre as APAs (Áreas de Proteção Ambiental)

São uma categoria de unidade de conservação relativamente nova. Sua implementação se iniciou na década de 1980, com base na Lei Federal nº 6.902, de 27 de abril de 1981, que estabelece, no art. 8: "Havendo relevante interesse público, os poderes executivos Federal, Estadual ou Municipal poderão declarar determinadas áreas dos seus territórios de interesse para a proteção ambiental, a fim de assegurar o bem-estar das populações humanas, a proteção, a recuperação e a conservação dos recursos naturais".

As APAs destacam-se por serem também unidades de gestão integradas que buscam traduzir na prática o desafio do desenvolvimento sustentável, procurando harmonizar a conservação e a recuperação ambiental e as necessidades humanas. Nos seus territórios coexistem áreas urbanas e rurais, com suas atividades socioeconômicas e culturais, e as terras permanecem sob o domínio privado, não exigindo desapropriação pelo poder público.