Monitoramento

04/06/2013

 

Três redes de pesca de espera, técnica de captura altamente predatória, foram apreendidas pelos guardas-parques do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) no canal que desagua da Lagoa do Sul para o mar, na Reserva Biológica da Praia do Sul, uma das unidades de conservação administradas pelo órgão ambiental na Ilha Grande.

As redes apreendidas mediam mais de 10 metros e foram colocadas havia pouco tempo, já que a área é monitorada com regularidade. Os animais ainda vivos presos à rede foram soltos e as carcaças dos já mortos foram descartadas. O material apreendido será destruído, mas os responsáveis não foram identificados. A fiscalização no local será intensificada de modo a coibir outras práticas criminosas.

Conhecida como curral, a técnica é proibida pois captura todos os peixes e crustáceos que transitam no canal, independente do tamanho, afetando o ecossistema local. A Lagoa do Sul, assim como a vizinha Lagoa do Leste, são dois dos mananciais mais bem preservados do Estado do Rio de Janeiro.

Ambas estão situadas em uma unidade de conservação onde não é permitida a visitação recreativa, justamente para se manter intacta toda a cadeia ecológica, que começa na cumeeira da serra, prossegue pelas encostas que levam às duas lagoas e destas, por fim, ao mar. A pesca clandestina quebra esta cadeia e se constitui em grave crime ambiental.