Sistema Hidráulico Paraíba do Sul

O Sistema Hidráulico do Rio Paraíba do Sul é formado por um complexo conjunto de estruturas hidráulicas existentes nas bacias hidrográficas dos rios Paraíba do Sul e Guandu, que interliga as duas bacias. Esse sistema é responsável pelo abastecimento de cerca de nove milhões de pessoas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. As condições de operação destes reservatórios são estabelecidas através da Resolução Conjunta ANA/DAEE/IGAM/INEA nº 1.382/2015.

Esquema do Sistema Hidráulico da Bacia do Rio Paraíba do Sul – Guandu

Em 2018, teve início a transposição de água do reservatório de Jaguari (bacia do rio Paraíba do Sul) para o Sistema Cantareira (Reservatório de Atibainha, bacia do rio de Piracicaba), realizada pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). As condicionantes operativas referentes à transposição do reservatório da UHE Jaguari para o reservatório Atibainha se tornaram públicas através da Resolução ANA nº 1931/2017.

Acompanhamento do comportamento dos reservatórios do Paraíba do Sul

O gráfico abaixo ilustra a evolução do volume equivalente dos reservatórios do Paraíba do Sul desde novembro de 2001.

No gráfico a seguir é possível acompanhar a partir do ano de 2014 a evolução dos volumes dos quatro reservatórios que compõem o Sistema Hidráulico do Paraíba do Sul (Paraibuna, Santa Branca, Jaguari e Funil).

Cabe o destaque para a queda brusca de volume ocorrida nos primeiros meses de 2014, a entrada no volume morto entre janeiro e fevereiro de 2015 e o início da recuperação a partir de dezembro de 2015, principalmente no reservatório de cabeceira.

As vazões observadas no rio Paraíba do Sul nos anos de 2014 e 2015 foram muito próximas ou inferiores às mínimas históricas até então registradas. Somente em dezembro de 2015, as vazões se aproximaram da média histórica, indicando uma tendência de saída do estágio de estiagem. Durante esse período foi necessário flexibilizar as regras de operação destes reservatórios,  principalmente no tocante a redução gradual da vazão objetivo em Santa Cecília, autorizadas mediante Resoluções da ANA.

O volume equivalente subiu de 9,9%, em 1° de dezembro de 2015, para 48,9%, em 1º de dezembro de 2016, registrando uma importante recuperação nos níveis dos reservatórios.

Em 1º de novembro de 2016, quando atingido o volume equivalente de 45,8 %, foi possível retornar com a vazão objetivo em Santa Cecília igual a 190m³/s, momento em que passaram também a vigorar as regras estabelecidas na Resolução Conjunta ANA/DAEE/IGAM/INEA nº 1.382/2015.

O monitoramento da operação dos reservatórios localizados na Bacia do Paraíba do Sul é disponibilizado diariamente pela Agência Nacional de Águas (ANA), por meio de boletins.