Sementes e Mudas Florestais

MUDAS

A produção de mudas nos hortos florestais estaduais é dirigida a projetos de recuperação de áreas degradadas por meio de reflorestamento, enriquecimento e restauração florestal, sendo de fundamental importância quando se pensa no processo de recuperação da Mata Atlântica Fluminense.

Os hortos florestais vinculados ao INEA buscam a reprodução de espécies nativas endêmicas, ameaçadas de extinção e climáxicas, utilizando sementes com origem garantida, prezando pela boa qualidade genética e fisiológica do material propagado. Para a obtenção de mudas sadias e vigorosas, a produção é composta por um conjunto de operações realizadas em viveiros, incluindo o manejo integrado de pragas, irrigação, adubação e outras atividades que garantem o seu desenvolvimento pleno e a resistência no campo. Os hortos florestais estaduais não somente produzem mudas como também se constituem em bancos genéticos ex situ e são espaços com grande potencial para diversas atividades, como a produção técnico-científica e educacional, sendo alternativa de visitação pública para as populações locais.

Atualmente estão em pleno funcionamento três hortos localizados na Região Serrana e um na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Além dessas unidades, mantém-se a produção de mudas no viveiro da recém-criada Floresta Estadual (FLOE) José Zago, localizada no município de Trajano de Moraes.

As mudas produzidas atendem prioritariamente aos programas e projetos institucionais, em especial aqueles que contemplam a recuperação de áreas em unidades de conservação. Porém, também são destinadas aos projetos particulares de recomposição florestal ou doações aos órgãos públicos e/ou organização social ou ambiental sem fins lucrativos. Além disso, está prevista a doação de mudas a detentores de pequenos imóveis rurais que aderirem ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), no âmbito do CAR.

A doação de mudas é realizada através de procedimentos específicos, de acordo com a Resolução n° 135/2016, utilizando os documentos abaixo disponíveis para download:

 

SEMENTES

Dentre os principais objetivos dos bancos de sementes está a garantia da conservação da diversidade da flora de um país ou região. No estado do Rio de Janeiro, o ban¬co de sementes do Inea, localizado no município de Santa Maria Madalena, desenvolve pesquisas e produz sementes utilizadas na recuperação da Mata Atlântica.

Criado em 1992, o Banco Estadual de Sementes Florestais – BESEF, inserido na área do Horto Central Florestal Santos Lima – HCFSL é responsável pela localização geográfica e marcação de árvores matrizes, coleta, beneficiamento, armazenamento e testes germinativos em sementes de espécies nativas endêmicas, raras e ameaçadas de extinção. As sementes produzidas são distribuídas à Floresta Estadual José Zago – FLOEJZ e aos hortos florestais administrados pelo Inea, garantindo a produção de mudas, prezando sempre pela qualidade genética dos propágulos. Além disso, as sementes também são destinadas às instituições de pesquisa parceiras, as quais mantêm ou têm interesse em criar bancos de sementes e viveiros florestais.

Capacitação
O BESEF oferece treinamento e capacitação em análise e tecnologia de sementes nativas da Mata Atlântica ao próprio corpo técnico do Inea ou entidades parceiras.

Doação
A doação de sementes destina-se principalmente às instituições que desenvolvam estudos e pesquisas nas áreas de tecnologia e variabilidade genética, visando contribuir para a sustentabilidade da restauração.

Parcerias
A divulgação do bom desempenho do BESEF tem atraído à atenção de diversas instituições de pesquisa e entidades governamentais interessadas em estabelecer parcerias, objetivando a realização de experimentos e a aplicação prática de suas pesquisas básicas. Entre os parceiros do BESEF estão:

  • Embrapa Agrobiologia
  • Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
  • Universidade Federal Fluminense – UFF
  • Prefeituras Municipais

Estágios
São oferecidas oportunidades para realização de estágios a estudantes de graduação e pós-graduação das redes pública e privada.
Os interessados devem contatar o Setor de Estágio do Inea, através do endereço eletrônico: estagio.inea@gmail.com

Voluntários
O Programa de Voluntariado Ambiental desenvolveu-se com base nas diretrizes previstas pela Resolução INEA nº 138, de 02 de junho de 2016, que dispõe sobre o Programa de Voluntariado em unidades de conservação estaduais e setores competentes da DIBAPE/INEA.
Para saber mais sobre o Programa mande um e-mail para voluntariado.inea@gmail.com

Endereço:
Avenida José Dantas dos Santos, n°35 Parque Itaporanga.
Município de Santa Maria Madalena, RJ CEP: 28760-000.
Telefones: (22) 2561-1660 e (22) 99992-6438
Contato: besef.inea@gmail.com
Funcionamento de segunda à sexta-feira, das 7h às 16h.

 

FLORESTA ESTADUAL JOSÉ ZAGO

A Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas (DIBAP) do INEA é responsável pela gestão da primeira unidade de conservação de uso sustentável na categoria ‘Floresta Estadual’ do estado do Rio de Janeiro, a Floresta Estadual (FLOE) José Zago.

A unidade foi criada através do Decreto Nº 45.543, de 13 de janeiro de 2016, abrangendo a área do antigo Horto Florestal de Trajano de Moraes e tem como objetivos aliar as atividades voltadas à conservação da biodiversidade, restauração florestal, produção de sementes e mudas, pesquisa científica, educação ambiental e lazer, a um manejo florestal sustentável e ao desenvolvimento do turismo.

Missão
A FLOE José Zago tem como missão ser um espaço de referência no desenvolvimento de tecnologias de conservação, recuperação e manejo florestal em pequena escala no estado do Rio de Janeiro.

Localização e contexto
A FLOE José Zago ocupa uma área de 29 hectares, localizada no município de Trajano de Moraes, Região Serrana do estado do Rio de Janeiro, em zona montanhosa, com altitudes superiores a 600 m acima do nível do mar, inserida entre duas Regiões Hidrográficas (RH VII – Rio Dois Rios e RH IX – Baixo Paraíba do Sul e Itabapoana), que abastecem cidades importantes como Campos dos Goytacazes e Itaperuna.

A 222 km de distância da capital, a área onde está inserida a FLOEJZ foi incluída na categoria “extremamente alta” correlacionada à prioridade para conservação, segundo o Ministério do Meio Ambiente e alta prioridade para conservação e uso sustentável da flora endêmica do estado do Rio de Janeiro, de acordo o mapa desenvolvido pelo JBRJ/CNCFlora.

Além disso, segundo estudos recentes realizados pela Coordenadoria de Gestão do Território e Informações Geoespaciais da DIBAPE, a UC é cercada por expressiva extensão de áreas prioritárias à restauração, avaliadas em função da existência de importantes mananciais utilizados para abastecimento público.

Origem do Nome da Unidade
O nome da Floresta Estadual homenageia o ex-chefe do Horto Florestal de Trajano de Moraes, atualmente aposentado. José Zago começou a trabalhar no horto em 1977 e assumiu a chefia em 1988, onde permaneceu até se aposentar, em 2008. Durante sua gestão, além de um importante trabalho de reflorestamento, também foram realizadas várias obras de melhoria que transformaram o horto num dos mais produtivos do estado do Rio de Janeiro.

Endereço da sede administrativa
Estrada da Represa, s/n°, Bairro da Represa, CEP: 28750-000
Cidade: Trajano de Moraes, RJ.
Telefone: (22) 2564-2390 / (21) 98596-5215
Email: floejosezago@gmail.com
Gestor: Ângelo Roberto Zago