Notícias |25.01.2019

Cerca de 73 espécies de aves são observadas no “Vem Passarinhar” realizado na Rebio Guaratiba, zona oeste do Rio

Unidade de conservação recebeu o programa no último fim de semana

A Reserva Biológica Estadual de Guaratiba, situada na zona oeste e administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), recebeu, no fim de semana (12 e 13/01), a primeira edição do Programa Vem Passarinhar. A atividade tem a finalidade de estimular a prática de observação de aves em vida livre, uma ferramenta de conservação por meio da visitação nas unidades de conservação do Estado do Rio de Janeiro.

Os participantes conheceram as aves do Sítio Roberto Burle Marx e da Praia de Araçatiba e realizaram um passeio pelo manguezal da Reserva Biológica Estadual. Cerca de 37 pessoas participaram da atividade, capacidade máxima permitida para não causar impactos na área protegida.

Nesta edição do Programa, foram observadas 73 espécies de aves, entre as quais as espécies Figurinha-do-mangue (Conirostrum bicolor bicolor); Saíra-sete-cores (Tangara seledon), Saíra-ferrugem (Hemithraupis ruficapilla), Tucano-de-bico-preto (Ramphastos vitellinus) e Águia-pescadora (Pandion haliaetus haliaetus). Vale ressaltar que o Tucano-de-bico-preto mede cerca de 46 centímetros de comprimento e é a única espécie ameaçada de extinção.

“O Vem Passarinhar consiste em incentivar a observação das aves nas unidades de conservação estaduais, ajudando a incrementar o turismo local. Esse programa vem se mostrando importante não só para a gestão da biodiversidade nas unidades de conservação administradas pelo Inea, mas também para a sensibilização da sociedade quanto a sua importância para a natureza”, disse João Rafael Marins, um dos coordenadores do programa.

Com aproximadamente 3.360 hectares, a Reserva Biológica Estadual de Guaratiba protege importante remanescente de manguezal na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, associado à Baía de Sepetiba. Trata-se de ecossistema de grande valor ambiental, econômico e social por oferecer inúmeros serviços ambientais, dentre os quais a manutenção da diversidade biológica; a oferta de pontos de repouso e alimentação para diversas espécies de aves migratórias; a prevenção de inundações; além de servir como fonte de matéria orgânica para águas adjacentes.

 

Fotos de João Rafael Marins

Em destaque