Notícias |12.01.2021

Inea devolve à natureza família de gambás-de-orelha-pretaOs animais endêmicos da Mata Atlântica foram encontrados próximos ao Parque Estadual do Desengano

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) devolveu à natureza, na última quinta-feira (7/1), uma fêmea da espécie gambá-de-orelha-preta (_Didelphis aurita_) em área próxima à sede do Parque Estadual do Desengano, no Norte Fluminense. O animal endêmico da Mata Atlântica estava acompanhado de seus filhotes, e foi encontrado em uma casa próxima à unidade de conservação.

Um morador do município de Santa Maria Madalena entrou em contato com a equipe do parque, que realizou a captura durante a madrugada, pois são animais de hábitos noturnos. Após resgatarem todos, imediatamente os guarda-parques os soltaram na natureza para não causar mais estresse nos animais, considerando que havia filhotes.

“O resgate da fauna silvestre representa hoje uma de nossas principais atividades. Ao mesmo tempo que reintegra na natureza uma espécie, cria com os moradores do entorno uma relação de parceria e confiança, e ajuda a difusão de nossa cantilena: lugar de bicho é na natureza”, explica o gestor do Parque Estadual do Desengano, Carlos Dário.

Também chamado de saruê, o gambá-de-orelha-preta é uma espécie comum, endêmica da Mata Atlântica, e pode ser encontrada em todas as unidades de conservação administradas pelo Inea. Pertence à família dos marsupiais, assim como os coalas e cangurus, pois possuem o marsúpio, uma bolsa de pele, localizada na região abdominal das fêmeas, na qual os filhotes completam o seu desenvolvimento. Além disso, o animal demonstra um comportamento defensivo justamente para proteger suas crias, mas é inofensivo e se aproxima de áreas urbanas apenas em busca de alimentos.

A alimentação do gambá-de-orelha-preta é onívora, ou seja, bem diversificada. Alimenta-se de vários animais, carniças, frutos, entre outros. É responsável pelo controle de diversos invertebrados, como aranhas, escorpiões e carrapatos. Resistente a toxinas, inclusive
às das cobras peçonhentas, a espécie é potencial predador de jararacas.

Com 21.365,82 hectares, o Parque Estadual do Desengano abrange parte dos municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense e é reconhecido internacionalmente como uma IBA (Important Bird and Biodiversity Area), ou seja, uma área prioritária para conservação da biodiversidade de aves.

Em destaque