Notícias |05.11.2019

Programa Vem Passarinhar RJ registra 83 espécies de aves no Parque Estadual da Pedra Branca, na zona oeste do RioEntre as espécies observadas, 23 são endêmicas da Mata Atlântica e cinco estão ameaçadas de extinção

O Parque Estadual da Pedra Branca, localizado na zona oeste da cidade, promoveu, no fim de semana (2 e 3/11), o Programa Vem Passarinhar RJ que contou com a participação de 37 pessoas que avistaram 83 espécies de aves. Idealizada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a iniciativa tem como objetivo inspirar e unir pessoas interessadas em proteger e desfrutar da observação de aves em unidades de conservação.

Entre as espécies observadas, 23 são endêmicas da Mata Atlântica e cinco ameaçadas de extinção com o destaque para o gavião-pombo (Amadonastur lacernulatus), o beija-flor-de-fronte-violeta (Thalurania glaucopis), o tangará-dançarino (Chiroxiphia caudata), o cuspidor-de-mascara-negra (Conopophaga melanops) e o estalador-do-sul (Corythopis delalandi), ave que, depois de 200 anos sem registro, foi redescoberta em 2004 no Maciço da Pedra Branca, e é monitorada pelo guarda-parque do Inea, Felipe Tubarão.

No sábado (2/11), pela manhã, a atividade foi realizada na trilha do Rio Grande, localizada no núcleo Pau da Fome, em Jacarepaguá. Com 800 metros de extensão, o percurso pode ser explorado por pessoas de todas as idades e as principais atrações são o aqueduto do século XIX, o recanto da Represa da Figueira e o da Represa da Padaria. Na parte da tarde, os observadores de aves percorreram a trilha da represa da escada d’água.

No domingo (3/11), a passarinhada ocorreu na trilha do terreiro de pedra, no núcleo quilombola do parque. A atividade incluiu visita ao quilombo Cafundá Astrogilda, em Vargem Grande.

Com 12.491,72 hectares, o Parque Estadual da Pedra Branca abrange partes de 17 bairros da cidade do Rio de Janeiro, dentre eles: Vargem Grande, Vargem Pequena, Barra da Guaratiba, Campo Grande, Santíssimo, Senador Camará, Padre Miguel, Bangu, Realengo, Sulacap e Taquara. A sede da unidade de conservação fica no núcleo Pau da Fome, em Jacarepaguá, e as subsedes estão situadas nos núcleos Camorim, também em Jacarepaguá, e Piraquara, em Realengo.

A unidade de conservação é reconhecida internacionalmente como uma IBA (Important Bird and Biodiversity Area), ou seja, uma área prioritária para conservação da biodiversidade de aves, pela BirdLife International.

Em destaque