Notícias |22.02.2021

Reserva Biológica de Guaratiba recebe pesquisa sobre peixes rivulídeos criticamente ameaçadosEspécie ameaçada de extinção foi identificada novamente na reserva em novembro de 2020 após quase 30 anos sem registros

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), por meio da Reserva Biológica Estadual de Guaratiba (RBG), e o Laboratório de Ecologia de Peixes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (LEP-UFRRJ) deram início na última quinta-feira (18/2) a projeto de pesquisa envolvendo peixes rivulídeos criticamente ameaçados.

A Reserva Biológica Estadual de Guaratiba é habitat de ocorrência de Notholebias minimus (Rivulidae: Cyprinodontiformes), um pequeno peixe criticamente em perigo segundo o Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. O último registro dessas espécies na unidade de conservação havia sido na década de 1990, mas foi encontrada novamente em novembro dedo ano passado durante um monitoramento de campo.

Os peixes rivulídeos, também chamados de peixes-das-nuvens, têm esse nome pelo curioso ciclo de reprodução destes animais: os ovos passam meses embaixo da terra seca em diapausa, uma retenção temporária do desenvolvimento do animal. Durante os períodos chuvosos, quando formam-se poças, os ovos eclodem e povoam estes pequenos ecossistemas temporários. Apesar de ocorrerem em todos os biomas brasileiros, muitos rivulídeos estão entre os peixes mais ameaçados de extinção. A principal ameaça a esses peixes é a perda de habitats pela ação humana, seja pela formação de áreas agrícolas ou urbanas, por meio de desmatamento, de drenagem ou aterros.

Para proteção e combate das ameaças, a equipe da RBG está em contato com parceiros em busca das melhores estratégias para realizar o manejo e a conservação da espécie. “A pesquisa tem uma grande importância e nós iremos nos valer das informações adquiridas para subsidiar as ações de manejo para a conservação das espécies”, explica Mauricio Reis, chefe da reserva.

O novo projeto de pesquisa executado pelo Laboratório de Ecologia de Peixes da UFRRJ tem como objetivo mapear as áreas de ocorrência de rivulídeos no interior da RBG, determinar parâmetros populacionais das espécies e monitorar os parâmetros físico-químicos da água e o habitat dos peixes. A equipe da RBG compartilhará informações e apoiará nada s saídas de campo.

Integram o grupo de pesquisa os biólogos Gustavo Guedes, Wagner Uehara, Débora Ferreira e Dandhara Rossi, coordenados pelo professor Francisco Gerson Araújo. Durante esta primeira atividade a equipe científica contou com o apoio da RBG, na participação dos agentes de defesa ambiental Allan Sobral, Luiz Ramos e do gestor Mauricio Reis, e do Centro Tecnológico do Exército (CTEX), com a participação do Sargento João Horta.

Sobre a Reserva Biológica Estadual de Guaratiba

A Reserva Biológica de Guaratiba está localizada na porção Oeste da Cidade do Rio de Janeiro, entre Barra de Guaratiba e Pedra de Guaratiba. Protege, desde a década de 1970, importante remanescente de manguezal na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, associado à Baía de Sepetiba.

Trata-se de ecossistema de grande valor ambiental, econômico e social, por oferecer inúmeros serviços ambientais, dentre os quais a manutenção da diversidade biológica; a oferta de pontos de repouso e alimentação para diversas espécies de aves migratórias; a prevenção de inundações; além de servir como fonte de matéria orgânica para águas adjacentes, constituindo a base da cadeia trófica de espécies de importância econômica e ecológica.

Em destaque