Notícias |08.10.2021

Seas e Inea iniciam projeto De Olho no MarIniciativa irá identificar e mitigar ocorrências de manchas de óleo e irregularidades ambientais nas áreas marítimas fluminenses

A Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), por meio da Diretoria de Pós-Licença (Dipos) iniciaram, nesta quarta-feira (6/10), monitoramento da Baía de Guanabara, iniciativa dentro do novo projeto De Olho no Mar. A finalidade do programa é a identificação e resposta a ocorrências das manchas de óleo orfãs, caracterizadas por terem origem desconhecida.

A equipe de técnicos do projeto percorreu a Baía de Guanabara costeando a cidade do Rio de Janeiro, da região do Porto do Rio até o Morro Cara de Cão. Durante a vistoria, não foram identificadas manchas de óleo ou quaisquer operações irregulares nos aspectos de prevenção e segurança ambiental nas atividades licenciadas pelo Inea. O De Olho no Mar será expandido para incluir o monitoramento de operações irregulares em todas as Baías do Estado do Rio de Janeiro, além de áreas de proteção, como a Reserva Extrativista Marinha Itaipu.

Com o uso de embarcações, caso identificada alguma mancha de óleo, a equipe será capaz de prontamente realizar uma primeira resposta à ocorrência, mitigando os danos ambientais, acionando os recursos necessários, e agilizando a identificação da origem. O projeto conta ainda com o uso de um sistema de informações por meio do qual é possível identificar as embarcações que trafegaram na região nas últimas 24 horas, além de ser possível saber a atual posição delas.

“O De Olho no Mar irá abranger também o monitoramento ambiental de operações irregulares, como as atividades de pesca predatória. A tecnologia será uma grande aliada nessa missão. A saúde dos nossos mares e oceanos é fundamental para a vida humana e para a conservação da biodiversidade fluminense”, afirma o secretário de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha.

As embarcações utilizadas no programa serão cedidas por empreendedores que foram alvo de multas ambientais e optaram por reverter o valor devido na prestação de serviços ambientais. Esta modalidade vem sendo desburocratizada, facilitando o acesso aos empreendedores que foram multados, se tornando uma forma eficaz de investir recursos para proteger o meio ambiente e aumentando o investimento em medidas de controle ambiental pelo Estado.

Em destaque