Notícias |25.01.2019

SEAS e Inea promovem choque de ordem no Parque Estadual da Costa do Sol

Operação faz parte da primeira grande operação do ano do programa “Olho no Verde”

A Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), iniciaram nesta quinta-feira (24/01), uma grande operação de fiscalização de desmatamento no Parque Estadual da Costa do Sol (PECS), em Arraial do Cabo, um dos mais importantes do Estado. O ponto da ação aconteceu às margens da Lagoa de Araruama, na Região dos Lagos, que resultou na demolição de 21 casas e quatro pessoas presas em flagrante.

Incêndios criminosos estavam acontecendo com intuito de abrir espaço para construções de centenas de casas irregulares. Apenas em um fim de semana as equipes registraram 23 focos de incêndio. A área devastada pelo fogo é equivalente a cinco maracanãs (36milm2).

A operação faz parte do projeto Olho no Verde, da Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade, que fiscaliza alertas de incêndio e desmatamentos por meio de imagens de satélite de alta resolução obtidas semanalmente, o que permite identificar, com precisão, desmatamentos a partir de 300 metros quadrados, ou seja, até mesmo o corte de uma única árvore.

Contando com a área do entorno do Parque da Costa do Sol, desde de julho de 2018, quase 110 mil metros quadrados foram desmatados por incêndios propositais.

A Secretária de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, e o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Cláudio Dutra, acompanharam a operação no local e determinaram uma série de medidas imediatas para combater as invasões.

“Esta é uma ação de extrema importância para salvar o parque e impedir que crimes como esse continuem acontecendo. A partir de agora, cada tijolo que for colocado será retirado”, afirmou a Secretária de Estado.

Após as demolições, será feita a recuperação ambiental do local. O Instituto fará a delimitação do parque, que hoje não existe fisicamente, além de colocar sinalização e sensibilizar a população para ajudar no combate aos crimes ambientais na região.

“Seguindo as orientações da nossa Secretária e do Governador, iniciamos a primeira ação de combate a esse crime ambiental. O Instituto Estadual do Ambiente está presente com o trabalho diário dos guarda-parques na contenção e na prevenção dos focos de incêndio”, destacou o presidente do Inea, Claudio Dutra.

Criado em 2011, o Parque Estadual Costa do Sol foi criado com o objetivo de assegurar a preservação dos remanescentes de Mata Atlântica e ecossistemas associados dessa região de baixadas litorâneas (restingas, mangues, lagoas, brejos, lagunas), possibilitando a recuperação de áreas já degradadas.

A unidade de conservação abrange parte dos municípios da chamada Região dos Lagos: Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Saquarema e São Pedro da Aldeia. O parque conta com mais de mil espécies de plantas, sendo 58 endêmicas fluminenses, ou seja, que só ocorrem no estado do Rio, destas 54 estão ameaçadas de extinção.

Pedimos para que a população denuncie através do Disque Denúncia. O anonimato é garantido. Os telefones são:

0300- 253-1177 (Interior do Estado do Rio de Janeiro)

2523-1177 (Capital e Região Metropolitana)

Em destaque