Notícias |22.11.2021

Trilha que corta a APA Estadual de Macaé de Cima, em Friburgo, recebe sinalização rústica

A Trilha de Longo Curso, que conecta as belezas  da Área de Proteção Ambiental (APA) Estadual de Macaé de Cima, unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), recebeu sinalização rústica. Executado por um grupo de voluntários no início deste mês, o trabalho liderado pelo Inea consistiu na fixação de desenhos de pegadas ao longo dessa trilha, desde a localidade de Theodoro, na Rodovia RJ 116, no limite entre os municípios de Nova Friburgo e Cachoeiras de Macacu, até o km 14 da RJ 142 (rodovia que liga Friburgo a Casimiro de Abreu), totalizando 33 quilômetros de percurso.

Esse caminho  faz parte também da Trilha de Longo Curso Caminhos da Serra Mar e da Trilha de Longo Curso Oiapoque x Barra do Chuí. A mesma cruza uma  bela região de Mata Atlântica, seguindo um dos rios mais importantes do Estado:  o Rio Macaé, no trecho das cabeceiras.  A atividade contou com o apoio da Superintendência Regional de Dois Rios do Inea, e do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

“A sinalização de uma trilha é uma importante estratégia, pois evita que os visitantes se percam no caminho, além de contribuir para ajudar no manejo, assegurando que as pessoas permaneçam em um traçado definido pela unidade de conservação, evitando o uso de “atalhos ou trilhas clandestinas”, disse Vicente Lutz, do Inea.

Com 35.037 hectares de área, a APA Estadual de Macaé de Cima está localizada em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. A unidade de conservação foi criada para preservar sobretudo as bacias dos mananciais existentes:  Rios Macaé de Cima, Bonito, das Flores, Santo Antônio e demais afluentes) além de conservar remanescentes da vegetação da Serra do Mar.

Pegadas

A sinalização que utiliza pegadas, foi desenvolvida pelo INEA e hoje é o padrão de sinalização nacional para a Rede Brasileira de Trilhas, definida pela portaria conjunta 500/2020, dos Ministérios do Meio Ambiente e do Turismo e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A sinalização rústica foi desenvolvida na Europa e nos Estados Unidos e é utilizada no mundo inteiro, por sua simplicidade e baixo custo. A mesma faz uso dos marcos já existentes, tais como pontes, postes, cercas, porteiras entre outros, tentando impactar ao mínimo o local.

Em destaque