Notícias |05.10.2021

Secretaria do Ambiente e Inea realizam ação contra despejo irregular na Bacia do GuanduA ação faz parte de um projeto de monitoramento intenso das atividades dos empreendimentos instalados na região

A Secretaria de Estado do Ambiente, por meio da Sicca e o Inea, através da Diretoria de Fiscalização e Pós Licença (Dipos) realizaram, nessa terça-feira (05/10) a interdição parcial de uma empresa, no Distrito Industrial de Queimados. Entre as principais infrações ambientais constatadas no empreendimento, a equipe responsável pela ação destacou o despejo irregular de efluentes no Rio Queimados, corpo hídrico que compõe o sistema Guandu, responsável pelo abastecimento de cerca de 9 milhões de cidadãos fluminenses.

A empresa vem operando em desacordo com as exigências previstas em sua licença ambiental e tem sido monitorada por ações de pós-licença e fiscalização do Inea. Conforme apontam laudos de análises laboratoriais disponibilizados pela Diretoria de Segurança Hídrica e Qualidade Ambiental (Diseq), os efluentes líquidos lançados pelo empreendimento violam padrões de qualidade estabelecidos na legislação estadual e podem representar riscos à qualidade ambiental do Rio Queimados e saúde da população. Além disso, nas instalações da empresa, técnicos do Inea identificaram disposição inadequada de resíduos, problemas relacionados ao controle de poluição atmosférica e diversas irregularidades operacionais com riscos potenciais ao meio ambiente. A empresa terá prazo de 15 dias para adequação dos problemas apresentados. Em caso de descumprimento, a mesma será totalmente interditada.

“Nossas equipes têm atuado de forma ostensiva na fiscalização desses empreendimentos e também no combate a crimes e irregularidades ambientais na região. Estamos atentos e trabalhando para garantir maior qualidade ambiental para a população fluminense”, destaca o secretário do Ambiente, Thiago Pampolha.

A operação também está inserida dentro do plano de ação do Comitê de Segurança Hídrica lançado pelo Governo do Estado, que prevê – entre outras iniciativas – a intensificação das ações de fiscalização das licenças ambientais dos empreendimentos locais e monitoramento na região. As empresas instaladas na Região Hidrográfica do Guandu (RH-II) também vêm recebendo acompanhamento diferenciado por parte do Inea, através do Projeto Alga – Acompanhamento de Licenças na Região do Guandu e Adjacências.

A iniciativa irá explorar com mais profundidade os problemas da região, traçar um diagnóstico do atual cenário e fazer um acompanhamento mais próximo das atividades licenciadas nos municípios da região.

Em destaque