Monitoramento Hidrometeorológico

O Inea faz o monitoramento das chuvas e dos níveis dos rios críticos do Estado do Rio de Janeiro por meio de uma rede de 113 estações automáticas dotadas de sensores que produzem registros da precipitação e dos níveis d’água a cada 15 minutos, sendo que:

  • 34 estações medem as chuvas e os níveis dos rios para o Alerta de Cheias;
  • 25 estações geram séries de dados de chuvas e de nível d’água para o desenvolvimento de estudos hidrológicos sobre disponibilidade e segurança hídrica. Importante destacar que o monitoramento hidrometeorológico é complementado com a realização de campanhas de hidrometria, para determinação da relação entre os níveis d’água observados em tempo real e a vazão medida nos rios e canais;
  • Outras 25 estações atendem a ambas as finalidades, ou seja, de envio de Alertas e de geração de dados para a segurança hídrica;
  • 29 estações pluviométricas que permitem uma visão das chuvas sobre as bacias hidrográficas monitoradas pelo Estado.

             

Todos os dados hidrometeorológicos gerados pelas estações automáticas são integrados à Sala de Situação do Inea, onde uma equipe de meteorologistas se revezam em escala para cobrir o monitoramento presencial 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Além da rede de estações hidrometeorológicas, os meteorologistas contam com uma rede de radares meteorológicos e equipamentos para garantir o monitoramento espacial da chuva, não somente em todo o território estadual, como também na totalidade das bacias hidrográficas compartilhadas com os estados vizinhos.

O controle dos radares é feito de maneira remota a partir da Sala de Situação, onde os dados são compartilhados com outras instituições públicas com as quais o Inea mantém acordos de cooperação técnica, permitindo usos múltiplos para as informações geradas no Rio de Janeiro.

Clique aqui para acessar informações sobre intensidade de chuva e nível d’água das estações automáticas monitoradas.

A cada cinco minutos, uma nova representação é gerada a partir dos dados dos radares meteorológicos e inserida em uma animação que pode ser visualizada aqui.

Para permitir que as Defesas Civis possam se planejar diante da previsão de algum evento meteorológico que possa impactar os níveis dos rios críticos do Estado do Rio de Janeiro, o Inea também publica diariamente a previsão hidrometeorológica para cada região hidrográfica do estado fluminense.

Acesse os Boletins Hidrometeorológicos diários produzidos pelo Inea.

  

 

 

 

 

 

        

O Sistema de Alerta de Cheias foi criado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para informar às autoridades e à população a possibilidade de chuvas intensas e inundações graduais (cheias) que possam causar perdas humanas e materiais.

Todo o arcabouço tecnológico e recursos humanos disponíveis permitem o atendimento ao Protocolo Operacional do Sistema de Alerta de Cheias, que prevê a progressão dos estágios de monitoramento, que vão do nível de vigilância até o aviso de transbordamento.

A comunicação dos eventos críticos pode ser feita de forma redundante pelo Sistema de Radiocomunicação Digital de Emergência do Inea. Este sistema integra defesas civis municipais e unidades descentralizadas do Inea, como Superintendências Regionais e Unidades de Conservação. O sistema consiste de equipamentos digitais de última geração, equipando sedes, viaturas e pessoal de campo. Esta integração das agências vai ao encontro da política de Estado da Defesa Civil, que visa a gestão dos desastres através do arranjo de esforços dos participantes do Grupo de Ações Coordenadas (Grac) do qual a Seas/Inea é um dos protagonistas no Plano de Emergências (PEM 2019) da Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec).